Carregando...

Júri Oficial

José da Silva Ribeiro - Presidente

Licenciado (graduado) em Filosofia pela Universidade do Porto (1976), graduação em Cine Vídeo pela Escola Superior Artística do Porto (1989), mestre em Comunicação Educacional Multimedia pela Universidade Aberta de Portugal (1993) e doutorado em Ciências Sociais - Antropologia pela Universidade Aberta de Portugal (1998). Foi professor da Universidade Aberta de Portugal. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Visual, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologia visual, antropologia digital, cinema, métodos de investigação em antropologia, interculturalidade e cultura afro-atlântica. Tem realizado trabalho de campo em Portugal, Cabo Verde, Brasil, Argentina e Cuba. Coordena a Rede Internacional de Cooperação Científica Imagens da Cultura / Cultura das Imagens. Professor visitante da Universidade Mackenzie (Educação, Arte e História da Cultura), da UECE, da UCDJB, da Universidade de Múrcia - Espanha (ERASMUS) e da Universidade de Savoie - França, Universidade de S. Paulo. Coordena o Grupo de Investigação antropologia visual /media e mediações culturais - CEMRI: Universidade Aberta. Atualmente professor visitante da UFG - Faculdade de Artes Visuais.

Lisabete Coradini

É Doutora em Antropologia pela Universidad Nacional Autónoma de México (2000). Atualmente é Professora Associada do Departamento de Antropologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Coordenadora do NAVIS Núcleo de Antropologia Visual, Diretório de Pesquisa/CNPq-UFRN. Realizou os seguintes filmes: “No mato das mangabeiras”, “Seu Pernambuco”, “cinema moçambicano em movimento”, “Sila, Mulher Cangaceira”, “Mestre Zorro”, entre outros. Membro da Comissão de Elaboração e de Avaliação do Roteiro de Classificação da Produção Audiovisual/CAPES e Coordenadora do Comitê em Antropologia Visual da Associação Brasileira de Antropologia. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana e Audiovisual, atuando principalmente nos seguintes temas: cidades, espaços, memórias, narrativas, cinema, cinema africano e o uso da imagem.

Curtis Taylor

Nascido em Broome, Western Austrália, em 1989. É um cineasta, artista de tela e um jovem líder Martu. Estudou Bacharel em Comunicação e Mídia (incompleta) na Universidade de Murdoch, Perth. Crescendo nas remotas comunidades do deserto e cidade de Martu, Curtis ganhou tanto o conhecimento tradicional Martu como uma educação ocidental. Depois de terminar a escola em 2008, Curtis trabalhou como Coordenador Comunitário e Diretor de Desenvolvimento da Juventude na Martu Mídia (uma divisão da Kanyirninpa Jukurrpa), onde também passou 18 meses trabalhando na Yiwarra Kuju: The Canning Stock Route como cineasta e embaixador da juventude. Curtis recebeu o Prêmio de Arte da Juventude do Oeste da Austrália de 2011 e a Bolsa de Estudos para Youth Wesfarmers, tendo seu trabalho de tela exibido em festivais internacionais de cinema, incluindo o Festival de Arquivo de Filme Indígena Internacional do Nepal de 2012. Atualmente Curtis está realizando estudos de cinema e mídia na Universidade Murdoch, em Perth. Possui várias produções com exibições e prêmios em festivais por vários países.

Carmem Guarini

Cineasta e antropóloga. Doutora pela Universidade de Paris X, França, em cinema antropológico (Tutor Jean Rouch 1988). Seminários de especialização (F.Birri, J.Prelorán e JL.Comolli). Fóruns e conferências (Chile, México, Espanha, Cuba, França etc). Pesquisadora CONICET, professora da Universidade de Buenos Aires e da Universidade de Cinema-FUC (Mestrado em Documentário) e EICTV-Cuba. Em 1986 foi co-fundadora da CINE OJO (produtora pioneira de documentários na Argentina) e desde 2001 no Festival e Fórum de Cinema DOCBUENOSAIRES. Em 2008, criou os FILMES DE DESENCANTO. Membro do Conselho de Administração do DAC (Diretores Cinematográficos Argentinos). Filmografia: Hospital Borda, um chamado à razão (1986); A Noite Eterna (1990); A voz dos lenços (1992), Jaime de Nevares, última viagem (1995); Tinta vermelha (1998); CRIANÇAS, a alma em dois (2002); O diabo entre as flores (2005); Meykinof (2005), Gorri (2010), Streets of Memory (2013), Walsh entre todos (2015), Amarre seu arado a uma estrela (2017). Prêmios à trajetória: Konex 2001 e 2011, A Mulher e o Cinema 2007, Prêmio DAC 2013.

António Costa Valente

Doutorado em cinema, ensina nas universidades públicas de Aveiro e Vila Real. Tem sido professor convidado em diversas instituições de ensino superior, é diretor do Departamento de Teatro e Cinema da ESAP – Escola Superior Artística do Porto. Como realizador e produtor, foi distinguido com cerca de três centenas de prémios em festivais nos cinco continentes. Artista plástico e programador cultural, tem integrado comissões organizadoras, júris de arte e sobretudo, de festivais de cinema. É dirigente do “Cine-Clube de Avanca”, da “Academia Portuguesa de Cinema”, da “APCA – Associação de Produtores de Cinema e Audiovisuais”, presidente da “Federação Portuguesa de Cineclubes”, tendo anteriormente presidido à “Cartoon Portugal” e participado, entre outros, nos corpos gerentes da “FPCA – Federação Portuguesa de Cinema e Audiovisuais”, do Conselho de Administração da “CARTOON - Association Européenne du Film d’Animation”. É coordenador nacional do “INPUT-TV”, é coeditor do “Internacional Journal of Cinema”, editor de "Persna", dirige o festival de cinema AVANCA desde 1997, a conferência científica AVANCA|CINEMA desde 2010 e coordena o “Prémio Eng.º. Fernando Gonçalves Lavrador”, anualmente atribuído à melhor investigação internacional no domínio do cinema.

Alice Fátima Martins

Professora no curso de Licenciatura em Artes Visuais e no Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual, na Faculdade de Artes Visuais, da Universidade Federal de Goiás. Doutora em Sociologia (UnB), Mestre em Educação (UnB), desenvolveu projetos de pós-doutorado na área dos Estudos Culturais (UFRJ) e de Cinema (Universidade de Aveiro). Bolsista de produtividade em pesquisa, PQ, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / CNPq.

Mariano Báez Landa

Professor-investigador titular da unidade do CIESAS unidade Golfo em Xalapa, Ver. México desde 1985. Doutor em Ciências Sociais. Instituto de Filosofia e Humanidades da Universidade Estadual de Campinas (IFCH-UNICAMP), São Paulo, Brasil, pós-graduação com distinção. Mestre em Antropologia Social. CIESAS-GOLFO, pós-graduado com menção honrosa. Licenciado em Antropologia. Universidad Veracruzana, graduado com menção honrosa CUM-LAUDE. Foi diretor do CIESAS-Golfo [1996-2000] e da Universidad Veracruzana Intercultural [2011-2013]. Coordenou desde 2001 a Oficina de Olhares Antropológicos, projeto de longa duração cujas principais linhas de atuação são a produção de materiais audiovisuais que motivam exercícios de reconhecimento intercultural; videotestemunhos que documentam itinerários intelectuais e trajetórias profissionais de antropólogos no México, bem como organizam módulos de treinamento e atualização profissional em antropologia aplicada. Atualmente, está desenvolvendo pesquisas sobre tecnologias digitais e comunicação intercultural. Recentemente publicou, em colaboração com Gabriel Alvarez (PPGAS-UFG) UM OLHAR EM (CON) FORMADO. Teoria e prática da antropologia visual. CIESAS-UFG, Goiânia GO
https://www.cegraf.ufg.br/up/688/o/ebook_olhar_inconformado.pdf