Júri Oficial
Mostra Competitiva Jean Rouch

José da Silva Ribeiro – Presidente do Júri

Licenciado em Filosofia pela Universidade do Porto (1976), graduação em Cine Vídeo pela Escola Superior Artística do Porto (1989), mestre em Comunicação Educacional Multimedia pela Universidade Aberta de Portugal (1993) e doutorado em Ciências Sociais – Antropologia pela Universidade Aberta de Portugal (1998). Foi professor da Universidade Aberta de Portugal. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Visual, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologia visual, antropologia digital, cinema, métodos de investigação em antropologia, interculturalidade e cultura afro-atlântica. Tem realizado trabalho de campo em Portugal, Cabo Verde, Brasil, Argentina e Cuba. Coordenou a Rede Internacional de Cooperação Científica Imagens da Cultura / Cultura das Imagens. Professor visitante da Universidade Mackenzie (Educação, Arte e História da Cultura), da UECE, da UCDJB, da Universidade de Múrcia – Espanha (ERASMUS) e da Universidade de Savoie – França, Universidade de S. Paulo. Entre 2016 e 2019 foi professor visitante da Universidade Federal de Goiás – Faculdade de Artes Visuais e Faculdade de Ciências Sociais. Coordena o Grupo Estudos de Cinema e Narrativas Digitais na AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual e colabora com outros projetos desta Associação. Colabora com diversas Revistas Científicas, Festivais de Cinema, Grupos e Redes de Pesquisa/investigação.

Ana Paula Alves Ribeiro

Antropóloga, Professora Adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Departamento de Formação de Professores). Procientista/UERJ. Professora dos seguintes programas: Programa de Pós-graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas (PPGECC/UERJ) e Programa de Pós-graduação em Cultura e Territorialidades (PPCULT/UFF). Coordenadora do Programa de Extensão Museu Afrodigital Rio de Janeiro (Decult/PR-3/UERJ), do Laboratório de Experimentações Artísticas e Reflexões Criativas sobre Cidades, Saúde e Educação (LEARCC/FEBF/UERJ) e integrante do Núcleo de Estudos afro-brasileiros – NEAB/UERJ.

João Mendonça

Professor associado da Universidade Federal da Paraíba nos cursos de graduação e pós-graduação em Antropologia, líder do grupo de pesquisa AVAEDOC (Antropologia Visual, Artes, Etnografias e Documentários). Realizador dos filmes Passagem e Permanência (2012) e Memórias Retomadas (2015), entre outros. Foi um dos organizadores locais (João Pessoa-PB) das Mostras internacionais de Cinema promovidas no Brasil pela Balafon (Jean Rouch, 2010; Pierre Perrault, 2012; Ateliers Varan, 2016). Membro do Comitê de Antropologia Visual da Associação Brasileira de Antropologia (ABA, gestão 2011-12), foi curador em diferentes edições do Festival Internacional do Filme Etnográfico do Recife (FIFER), bem como em outras Mostras, tais como a 20a Edição do Prêmio Pierre Verger (ABA) em 2016 e a Mostra Arandu em 2020.

Cornelia Eckert

Graduação em Bacharelado em História (1981) e em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1980), mestrado PPGAS IFCH UFRGS (1985), doutorado em Antropologia Social – Paris V – Sorbonne, Université Renne Descartes (1991). Realizou programa de pós-doutorado em Antropologia Sonora e Visual, Paris VII (2001); realizou programa de pós-doutorado no Institute for Latin American Studies na Freie Universität Berlin, Alemanha em 2013 e pós-doutorado na Georgia University, EUA, 2018. Professora Titular aposentada e atualmente docente convidada do Programa de Pós- graduação em Antropologia Social na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Linhas de pesquisa antropologia visual e imagem, antropologia urbana, antropologia e meio ambiente. Coordenadora do BIEV portal www. biev. ufrgs. br e do Núcleo de Antropologia Visual (NAVISUAL). É pesquisadora do NUPECS (PPGAS UFRGS) do CEPED (UFRGS). Edita a Revista Eletrônica Iluminuras, a revista Fotocronografia e participa da Comissão Editorial da Revista Horizontes Antropológicos. Vice-presidente da Associação Brasileira de Antropologia gestão 2021-2022.

Ana Rosa Marques

Professora do curso de Cinema da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão, como o Festival de Documentários de Cachoeira – Cachoeiradoc.

Doty Luz

É produtor e gestor cultural, cineasta, educador quilombola, idealizador e diretor do Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra Catarinense – FICASC. Curador e produtor executivo do Guaporé Festival Internacional de Cinema Ambiental – RO (2021), Jurado do Festival Eco BrasilFest (SP) (2021). Diretor da Fósforo Produções Culturais (2011 – 2021). Ministra cursos e oficinas em instituições de ensino, espaços culturais e artísticos.

Zienhe Castro

Paraense, cineasta, produtora e roteirista na produtora ZFilmes. Atua como produtora cultural há 30 anos. Cursou Roteiro e direção para documentários na Escuela de Cine e Tv de San Antonio de Los Baños em Cuba, onde realizou seu primeiro curta autoral “Amanhecer de Repente” sobre a música repentista cubana. Desde 2004, passou a dedicar-se exclusivamente ao cinema, e transitou em várias funções: Produtora Executiva, Diretora de Produção, Coordenadora de Produção, Co-roteirista, Roteirista, Montadora e Diretora. Em 2009, dirigiu e produziu o documentário “ERVAS E SABERES DA FLORESTA”, Em 2010, aprovou por edital do extinto MinC o curta de ficção “PROMESSA EM AZUL E BRANCO”, inspirado no conto homônimo da escritora paraense Eneida de Moraes e lançado em 2013. Em 2015/16, produziu e dirigiu “GRITOS DA TERRA” um curta ficcional/experimental em parceria com germano-brasileira Geneviève Pressler, e o curta documentário “DEIXE EU LHE DIZER”. Em 2017 foi premiada pelo edital SEIVA de Produção Artística com o curta- foto-filme JOSEPHINA. Em 2018/2019 roteirizou, produziu e dirigiu o curta ficção O HOMEM DO CENTRAL HOTEL e o média ficção PRAIANO. Em 2018 foi premiada pelo edital de desenvolvimento de roteiro de longa ficção CÃO DA MADRUGADA. Ela assina o roteiro de Montagem do longa doc “Boi Pavulagem é Boi do Mundo” com Direção de Ursula Vidal e Homero Flávio. Atualmente desenvolve o roteiro para série documental de TV “SABERES DA FLORESTA” e “NÓS, AS ICAMIABAS” e trabalha na Direção de montagem do segundo corte do longa documentário “A PAJÉ” de Letícia Ottomani previsto para lançamento em abril de 2021. Desde 2009 é responsável pela fundação, Direção Geral e curadoria do FESTIVAL DE CINEMA AMAZÔNIA DOC – Festival Pan-Amazônico de Cinema, que envolve os 9 países pan-amazônicos.

Indaiá Freire

Nascida em Belém do Pará, tem formação em jornalismo, é produtora cultural com foco em audiovisual e Mestra em Literatura e Cinema. Participou da realização de 6 curtas-metragens todos filmados em película. Em 2007, fez curso de produção executiva para audiovisual na Escuela de Cine y TV de San Antonio des los Banõs em Cuba com Sanford Lieberson, ex produtor da Fox Films. Trabalhou por 30 anos na TV Cultura do Pará em produções televisivas e eventos ao vivo da emissora como transmissão de shows. Em 2014 coordenou o Edital Cultura de Audiovisual que selecionou 4 obras seriadas de animação, documentário e ficção em parceria com a Ancine. Em 2018, ainda na TV Cultura coordena o 2o Edital Cultura de Audiovisual também em parceria com a Ancine que contemplou 7 obras seriada. Foi titular do audiovisual na Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC)/Lei Rouanet nos biênios 2013/2014 e 2015/2016. Coordenou em parceria com a Bravi (Brasil Audiovisual Independente) o RioContentLab Norte, versão reduzida do Rio Content Market (atual Rio 2C), em 2017, em Belém. Foi membro do júri oficial na mostra de filmes curta-metragem, categoria Nacional do Festival Kinoarte de Cinema 2016 – 18a Edição de Londrina. Júri oficial da mostra competitiva de curta-metragem da 21o CINE PE, em 2017 no Recife. Júri de seleção do edital de animação do Ministério da Cultura em 2018. Fez parte da equipe que formatou a Lei do Audiovisual do Pará, Lei Milton Mendonça, aprovada em 26 de agosto de 2020.

III FFEP